Como a hashtag viralizou nesse domingo

Suspeito é detido após ataque com faca na estação Leytonstone de metrô, em Londres, no sábado (5) (Foto: Reprodução/Twitter)

Usuários do Twitter estão usando a hashtag #YouAintNoMuslimBruv (algo como “você não é muçulmano, mano”) para criticar um homem suspeito de esfaquear três pessoas em uma estação de metrô de Londres na noite deste sábado (5) – e desvincular a ação da religião.

Uma das vítimas sofreu ferimentos graves e as outras ficaram levemente feridas após o ataque, que ocorreu na estação de Leytonstone. Assista ao vídeo.
A polícia classificou o ataque como “incidente terrorista”. Testemunhas disseram que o suspeito teria gritado “Isso é pela Síria” durante a ação.

Em um vídeo que mostra os momentos que se seguiram ao ataque, é possível ver o suspeito no chão, após ser imobilizado pela polícia com choque de uma arma taser.
Também é possível ouvir um homem gritando: “Você não é muçulmano, mano”.
A frase foi interpretada como uma forma de dizer que as ações do homem eram simplesmente o ato de um assassino, não de alguém querendo apoiar a Síria.

Ela se tornou viral nas redes sociais, sendo compartilhada milhares de vezes por usuários que dizem que ela é a resposta perfeita para as tentativas de espalhar terror e violência em Londres.

Neste domingo, a hashtag entrou nos trending topics do Reino Unido no Twitter.
Os usuários disseram também que estavam orgulhosos por serem londrinos e que a mensagem enfraquece o terrorismo.

“A hashtag é a resposta mais londrina ao ataque que você poderia imaginar e resume como nos sentimos sobre esses maníacos”, disse um post.

“#YouAintNoMuslimBruv é perfeito: real, inclusivo e enfraquece a causa terrorista”, escreveu outro.
“‘Você não é muçulmano, mano. Você é uma vergonha. O passageiro resume os últimos dez anos em uma frase”, postou outro usuário.
A hashtag #YouAintNoMuslimBruv vem depois de outras mensagens desafiadoras nas redes após ataques terroristas.

Após os atentados de Paris, #PorteOuverte (porta aberta) foi usada por pessoas oferecendo abrigo a outras que não conseguiam voltar para casa devido aos ataques.
Outras hashtags também viralizaram, como #TerrorismHasNoReligion (Terrorismo não tem religião).

Após os ataques à revista Charlie Hebdo, no início do ano, #JeSuisCharliecharlie foi compartilhado por pessoas de todo o mundo.

Em Londres, políticos também aderiram à campanha.
“Para derrotar o terrorismo, devemos desafiar diretamente sua ideologia venenosa”, disse Sadiq Khan, pré-candidato do Partido Trabalhista à Prefeitura de Londres em 2016.

Fonte: BBC

142 total views, 3 views today

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Paulo Gustavo

Focado nos assuntos curiosos em debates na sociedade. Reflexões são para serem reflexivas e com ar de seriedade. Atualmente estou com 24 anos e solitário, que passa maior parte do tempo lendo coisas do meu interesse e essas coisas significa livros de história, ficção e sites. Sou viciado no YouTube. Para ser mais intenso, sou portador de uma condição de nome Van der Woude, mais popularmente conhecida como Lábio Leporino. Já fiz mais de 11 cirurgias e todas até agora foi na parte da face. Provavelmente farei mais. Quero fazer da minha vida uma experiência inesquecível. Ainda não desistir de fato, não gosto de perder, essa a razão de ainda está aqui. É preciso um dia perder para ter sede de ganhar. Bom, bem vindo (a)!😙😙😙😊