Lábio Leporino e o preconceito “silencioso”

5
(3)

Olá leitores, neste post irei abordar um assunto pouco conhecido por muitos. Abordaremos as injustiças, que nada mais é que o preconceito que as pessoas de lábio leporino sofrem.

 

Lábio Leporino, talvez você ainda não tenha ouvido falar, mas outros sim e talvez até ter um membro de sua família nasceu com tal condição que muita das vezes chamamos de fissura.


Eu nasci com essa “deficiência”, isso não afetou apenas minha aparência, mas também minha fala, nem todos que nascem com essa fissura tiveram a “sorte” de ter a aparência ou até a fala afetada.

Imagem de um “anjo” com lábio leporino.

Infelizmente, que se a pessoa com tal fissura, não tiver um apoio psicológico, tanto da família como de conhecidos e também de amigos, até o caráter da pessoa pode ser afetada, só que isso nem sempre é ruim para todos, há pessoas que usam os preconceitos da sociedade como experiência de vida, usam esse preconceito a seu favor.

Às vezes, um “não”, nem sempre é uma resposta, pode ser uma boa pergunta, e a resposta desse “não” é sua.

Até 50% de desconto de ebooks da editora Zahar na Amazon (Para ter o desconto você tem só hoje de chance)

Preconceito

Na mídia, incluindo jornais impressos como também a TV e rádio e também a internet, o preconceito geralmente é abordado, só que o tema, preconceito, é sempre o mesmo, o combate ao preconceito visa especificamente a preconceito sofrido por negros, mulheres e em maior parte contra homossexuais. Infelizmente, esses três grupos são os mais “privilegiados”, quando a luta é contra o preconceito. Não estou dizendo que isso seja errado, nada disso, mas a impressão que fica é que é apenas esses três tipos de grupo é discriminado na sociedade. Acredito sem sombra de dúvida que isso envolve interesses político e ideológico.

E o que observo e você talvez também já tenha observado, que eles “esquecem” que existem outros tipos de minorias, como os que têm alguma deficiência, tanto física como mental. A impressão que dar é que não existem pessoas com sequelas sérias e que sofrem muito vivendo numa sociedade que aprova na maioria das vezes um padrão de pessoa e de comportamento que você ou qualquer um que não seguir esse “padrão” será literalmente discriminado.

E esse grupo que a mídia dificilmente lembra que existe e que a qual faço parte, sofrem bastante tanto no meio da família tanto na sociedade.

Ninguém está imune a não ser preconceituoso, mas só é quando quer.

INFÂNCIA:

Quando criança sempre tive muito problemas com o preconceito que a sociedade têm. Vizinhos rindo de mim simplesmente por eu não ter escolhido nascer assim. Vale frisar que nem sempre esses vizinhos foram crianças, eram gente com a mente já formada ou seja, eram adultos sabiam exatamente o que estavam fazendo, sabiam exatamente que estavam machucando alguém agindo dessa maneira preconceituosa.

Lembro minha mãe me falando que quando minhas tias foram contar para minha vó do meu nascimento elas choravam muito e diziam: “meu Deus mãe, meu sobrinho nasceu um monstro”, sim, disseram exatamente isso.

Em casa tive um irmão e duas irmãs quando era criança. E uma de minhas irmãs que era mais velha que eu, sempre agia de maneira bruta, sempre agindo de maneira preconceituosa, ela sempre que ficava com briga comigo, sempre agia de maneira idiota que era preconceituosa. Esse meu caso mostra que, muitas das vezes o problema está no lar em que a pessoa vive, e infelizmente, os pais nem sempre percebem. E Infelizmente, o preconceito partia também de primas, ou seja, de outros membros da família, que muitos chamam apenas de parentes.

Na escola, lembro como nunca, que meu primeiro dia na creche foi pior que eu imaginava. Muitos dizem que criança não tem maldade e isso é uma verdadeira mentira, que infelizmente, é propagada todo dia pela maioria das pessoas. Me lembro que quando a professora saiu por um instante, foi que começou o “show” delas.

“Nariz de porco”, “cara de monstro”, “dente disso e daquilo” “não senta perto de mim”, “não encosta tua mochila na minha”, sim gente, era o que eu ouvia de CRIANÇAS. Mas sabe, isso não aconteceu apenas comigo, isso acontece todos os santos dia numa sociedade que idealiza o perfeito. O “perfeito” que eles exigem da gente nem mesmo eles conseguem ser. Esse é o problema, um problema nosso por sinal, que nos faz parecer doentes, e para piorar, é que esse pensamento doentio, não consegue ser percebido por nós mesmo. Quando os pais não educam o filho para respeitar o próximo, ele está construindo um doente. Tudo pode ser mudado e quando mais cedo ser percebido mais fácil será ser resolvido, e não importa se a diferença for estética ou sexual, todos merecem respeito e se você respeita você não necessariamente precisa aceitar, têm apenas de respeitar.

O que é lábio leporino?

Lábio leporino, é uma condição, para entender um pouco melhor é uma “deficiência” que não faz que a pessoa que nasceu com essa ANOMALIA ser pior que ninguém, mas que infelizmente para algumas pessoas, que se dizem humanas, tratam esse tipo de assunto algo pior.


A pouco tempo cientistas britânicos identificaram um gene defeituoso crucial no surgimento da condição conhecida como lábio leporino.

Dependendo da severidade, este tipo de lesão labiopalatal, conhecida oficialmente como síndrome de Van der Woude, pode causar desfiguração facial em bebês.

Os pesquisadores descobriram o gene, chamado de Fator Regulatório Interferon 6 (em inglês, IRF6), a partir de informações geradas pelo Projeto Genoma Humano.

Pessoa que nasce com essa anomalia geralmente tem a sua imagem estética aos olhos da sociedade um problema, às vezes até para si própria. 

Um exemplo disso pode ser eu, tenho dificuldade na fala, e esteticamente também, mas isso pode ser melhorado com cirurgias plástica.

A face de quem nasce fissurado é nascer com um corte no lábio, esse corte pode ser bem pequeno e em outros pode ser bem maior atingindo os dois lados do lábio, para ser mais popular, a pessoa nasce com a “boca aberta”. Comigo não foi só a parte externa da boca, foi também a goela partida ao meio e o palato (que popularmente conhecido como “céu da boca”) foi totalmente aberto, é por isso que a grande parte das pessoas têm problema na fala ou voz. E nisso os dentes destas pessoas não são como nas pessoas que nascem de um jeito comum. Vale frisar, que esses problemas acometem as pessoas que nasceram com lábio leporino num caso mais grave, enquanto que em outros as sequelas são bem pequenas que se quando olha para elas nem se percebe que ela nasceu com a fissura.

Nos casos graves a pessoa tem que ser submetida a inúmeras cirurgias. Eu por exemplo, que eu me lembre, já fiz 11 cirurgias. Com certeza ainda terei que fazer mais que quiser e se der.

A primeira cirurgia fiz em Belém, só que minha mãe não se acomodou e me levou para Bauru, que é um interior de São Paulo, onde tem um hospital que faz cirurgia na face e que atende em sua maioria pessoas fissuradas.

Infelizmente esse centro hospitalar que leva o nome de Centrinho, que é onde faço tratamento, tem andado para trás, por motivos político com certeza.

Há grupos tanto no Whatsapp, Facebook e Instagram que seus membros são pessoas e pais que têm a anomalia crânio facial e falam sobre o assunto, é interessante.

O apoio psicológico de um profissional para essas pessoas na maioria das vezes é necessário. Digo necessário e não obrigatório, só faz quem quiser.

E também poderá precisar ter que fazer tratamento com uma fonoaudióloga se precisar.

O apoio da família e amigos para um fissurado que tem lábio leporino é extremamente importante. E combater o preconceito sofrido por eles é com certeza mais que necessário. O combate ao preconceito tem que ser inevitável. O preconceito tem que ser combatido de maneira inevitável por causa que ele é também inevitável.

Estudos indicam que de 600 crianças que nascem uma nasce com lábio leporino.

E você que acabou de ser mamãe, papai, titia ou amigo de alguém com lábio leporino, saiba que você está diante de uma pessoa normal, apenas houve um pequeno errinho na formação. O melhor que você tem que fazer para essa pessoa, é nada mais nada menos que amar ela da mesma maneira você gostaria de ser amado e tratar da maneira que gostaria de ser tratado. E se você tem esse dom, que é amar e ser gentil, então você é muito melhor que você pensa e tudo de melhor que uma pessoa merece.

Importante ressaltar que as experiências que você que estiver lendo esse post, deixar seu comentário, tanto como sua experiência de ter alguém assim com você, seja um amigo, parente, que seja alguém que conheça ou até você mesmo.

Abraços, ame cuide e respeite.

Meu Instagram: Paullogusttavo

Meu Twitter: Paullogustavo

Curta a página no Facebook: BlogPauloGustavo

Observação: A foto de título é do ator que interpretou um vilão no filme de grande sucesso “Gladiador”. O nome do ator é Joaquin Phoenix, ele nasceu com lábio leporino, mas no caso dele o defeito genético foi BEM pequeno.

E essa última foto é só para deixar o post mais atraente

Outros blogs Interessante:

https://www.ocioso.com.br/widget/?utm_source=205&utm_medium=widget&utm_campaign=Ocioso_Widget&utm_term=links%2Cagregador&utm_content=Ocioso%20links

Blogs interessante https://www.ocioso.com.br/widget/?utm_source=205&utm_medium=widget&utm_campaign=Ocioso_Widget&utm_term=links%2Cagregador&utm_content=Ocioso%20links

9,762 total views, 15 views today

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Paulo Gustavo

Estudante de jornalismo. E Focado nos assuntos curiosos em debates na sociedade. Reflexões são para serem reflexivas e com ar de seriedade. Atualmente estou com 24 anos e solitário, que passa maior parte do tempo lendo coisas do meu interesse e essas coisas significa livros de história, ficção e sites. Sou viciado no YouTube. Para ser mais intenso, sou portador de uma condição de nome Van der Woude, mais popularmente conhecida como Lábio Leporino. Já fiz mais de 11 cirurgias e todas até agora foi na parte da face. Provavelmente farei mais. Quero fazer da minha vida uma experiência inesquecível. Ainda não desistir de fato, não gosto de perder, essa a razão de ainda está aqui. É preciso um dia perder para ter sede de ganhar. Bom, bem vindo (a)!