Norte-americana deixa de ser missionária para virar atriz pornô

O portal do UOL dedicou uma matéria para falar de uma missionária que deixou de ser missionária para ser atriz pornô.

A reportagem publicada originalmente pelo “New York Post” apresenta a história da norte-americana de 30 anos, que deixou de ser missionária em uma igreja mórmon para encarar a nova profissão. Addie conta que sempre foi incentivada por sua família a ter envolvimento com alguma religião.

Então, aos 17 anos, Addie conheceu uma igreja mórmon que existia perto de sua casa e passou a fazer parte dela. Até então, ela só havia tido relações sexuais uma vez. “A igreja me recebeu, eles eram muito acolhedores e queriam fazer o bem através de mim”, explica Addie.

No entanto, a atriz explica que os conceitos da religião, que proíbe o sexo antes do casamento, dentre outras coisas, a distanciavam de sua verdadeira identidade. “O problema não é apenas o fato de o sexo antes do casamento ser proibido, mas que eles também consideram isso um pecado muito sério e algo vergonhoso de se fazer. Quanto mais me aprofundava na religião, mais distante da minha própria identidade eu ficava”, salientou.

Mesmo com o crescente incômodo, Addie ficou 18 meses em missão pelos Estados Unidos e ficou sem fazer sexo até os 26 anos. “Fiquei muito reprimida sexualmente. Você é essencialmente uma freira dedicada à sua religião por todo esse tempo.” A atriz revela que não pôde nem ser madrinha de casamento de sua irmã porque o vestido era considerado “indecente” pelos padrões mórmons. Foi aí que ela resolveu dar um basta na situação.

Em 2017, Addie parou de frequentar a igreja. No ano seguinte, ela se mudou para a Califórnia para se tornar atriz, mas, apesar de ter um diploma universitário, não conseguiu encontrar trabalho. Então, tentou a sorte como stripper.

“(Depois que comecei a dançar) Comecei a ser procurada por muitos agentes da indústria pornográfica”, explicou a atriz, que resolveu se aventurar no universo e, atualmente, conta com mais de 70 mil seguidores no Instagram. Addie ainda explica que sua família aceitou seu novo estilo de vida. “Eu sabia que eles ficariam um pouco chocados quando eu lhes contasse sobre meu trabalho adulto”, diz ela, que ressaltou que até seu irmão aceitou bem sua nova profissão.

“Meu irmão disse: ‘definitivamente nunca vou assistir a seu pornô, mas você parece mais feliz do que nunca, então eu apoio sua decisão'”, concluiu.

Comento:

Triste, mas foi uma escolha e não uma obrigação.

Triste por qual motivo? Porque desconheço alguma ex-atriz pornô ficar feliz por ser quem foi um dia. O que vejo é uma debandada de ex-atores arrependidos com quadro de depressão e com alto risco de suicídio. Mas escolha é escolha. Com todo respeito.

5,578 total views, 3 views today

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Paulo Gustavo

Estudante de jornalismo. E Focado nos assuntos curiosos em debates na sociedade. Reflexões são para serem reflexivas e com ar de seriedade. Atualmente estou com 24 anos e solitário, que passa maior parte do tempo lendo coisas do meu interesse e essas coisas significa livros de história, ficção e sites. Sou viciado no YouTube. Para ser mais intenso, sou portador de uma condição de nome Van der Woude, mais popularmente conhecida como Lábio Leporino. Já fiz mais de 11 cirurgias e todas até agora foi na parte da face. Provavelmente farei mais. Quero fazer da minha vida uma experiência inesquecível. Ainda não desistir de fato, não gosto de perder, essa a razão de ainda está aqui. É preciso um dia perder para ter sede de ganhar. Bom, bem vindo (a)!