Os dados do Coronavírus na Itália mostra que o vírus não é tão assustador?

A pandemia que começou na China mata mais idosos que pessoas mais novas

 419 total views,  3 views today

0
(0)

O Covid-19 está assustando o mundo, e eu já até sofri por conta disso mesmo sem ter sido contagiado pelo famoso Coronavírus. Estava tossindo e pediram que eu fosse logo ao médico, mas achei impossível está infectado pelo vírus.

Mas vamos ao que interessa. Aos dados.

Será mesmo que esse vírus é tão preocupante? A resposta é sim.

Bom, pelo menos a taxa de transmissão dele é muito rápida se comparada a gripe comum ou até mesmo ao H1N1.

A taxa de transmissão da gripo comum é de 1,3. O que significa que cada pessoa infectada passa a doença a 1,3 pessoa, em média. E do H1N1 é de 1,5 e do Coronavírus estar em 2 e 3. Isso quer dizer que se no momento a COVID-19 se não for controlada poderá infectar mais pessoas que a gripe comum.

Os especialistas já acreditam que ele será um virús igual como a gripo que nós conhecemos, ou seja, estará sempre presente entre nós. E então iremos ter de combate-lo sempre que acharmos que estamos infectados.

Mas é importante que saiba que ele será mais comum em clima de inverno e menos comum no verão. No Brasil já se acredita que em Abril a transmissão será mais comum no país.

Estou escrevendo esse post na madrugada de segunda-feira de 23 de março de 2020, e no dia 21 de março foram confirmados 793 mortes pelo Coronavírus na Itália, um recorde até então. Antes o números de mortes não ultrapassa o número de 627. A maior parte dessas mortes estão acontecendo na Lombardia, que fica ao redor de Bergamo.

Agora vai mais um dado curioso.

São estatística oficiais da Itália, fresquinhas:

– Idade dos mortos masculinos é de 79, 5 anos.

– Para as mulheres é (30 do total) é de 83, 7 anos

A vítima tinha em média 2,7 outras doenças graves

Apenas três pacientes (0,8 %) não tinham outras doenças antes.

Ninguém com menos de 30 anos morreu. Dos falecidos, 71,1% são da Lombardia. Curiosamente, todas as outras regiões têm menos de 1% do total de mortos.

O ideal eram ter deixado os idosos isolados e os mais novos livres para circularem e criarem anticorpos.

 420 total views,  4 views today

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Average rating 0 / 5. Vote count: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

(Visited 39 times, 1 visits today)

Paulo Gustavo

Estudante de jornalismo. E Focado nos assuntos curiosos em debates na sociedade. Reflexões são para serem reflexivas e com ar de seriedade. Atualmente estou com 24 anos e solitário, que passa maior parte do tempo lendo coisas do meu interesse e essas coisas significa livros de história, ficção e sites. Sou viciado no YouTube. Para ser mais intenso, sou portador de uma condição de nome Van der Woude, mais popularmente conhecida como Lábio Leporino. Já fiz mais de 11 cirurgias e todas até agora foi na parte da face. Provavelmente farei mais. Quero fazer da minha vida uma experiência inesquecível. Ainda não desistir de fato, não gosto de perder, essa a razão de ainda está aqui. É preciso um dia perder para ter sede de ganhar. Bom, bem vindo (a)!

Next Post

Pronunciamento de Bolsonaro bate recorde de Copa do Mundo

qua mar 25 , 2020
A Globo ganhou o que queria, audiência.