Texto provocador: Silêncio da imprensa com denuncia contra Toffoli mostra o motivo que a faz perder credibilidade

0
(0)

A imprensa no Brasil está a cada dia mais sem credibilidade, e prova disso é o número de brasileiros que não se informam mais pelos principais jornais conhecidos como tradicionais.

A imprensa teve um ótimo destaque na era Collor, ela ajudou a tirar o então presidente que acabou por pedir renúncia. Ele, Fernando Collor, já estava atolado em denuncias de corrupção e a imprensa estava unida para ver a queda, seria a primeira queda de um presidente eleito, legitimamente, como presidente da república, desde da redemocratização.

Ao passar dos anos, foram eleitos mais três presidentes, FHC, Lula e Dilma, esses três foram reeleitos. Dilma caiu, mas com a ajuda do ministro do Supremo ela continuou a ter os direitos políticos que uma presidente vítima de impeachment não deveria ter.

A imprensa cobriu todos esses fatos, teve presença massiva nesses momentos históricos.

Só que essa mesma imprensa, que já teve um momento único, de ser a única propagadora de informação aceita e confiável, antes da era da internet, viu as coisas mudarem e ela também mudou. Infelizmente para pior.

Novos jornalistas começaram a sair da faculdade com crachá de militantes de esquerda na mente.

Isso se deve aos governos anteriores, que gastou muito dinheiro do povo para que a alienação da população fosse enfim feita, dinheiro esse colocado na imprensa e na classe artística, e assim, políticos de estimação foi criado. Não que não existia políticos de estimação antes, mas agora esse número mais que multiplicou. Tem até políticos na lama da corrupção sendo adorado como se fosse um Deus.

Toda essa alienação feitas por grupos e artistas e toda a lama de corrupção cometidas por corruptos políticos fez nascer uma onda muito grande na sociedade brasileira que não acreditava mais nos velhos políticos e nos velhos jornais. Assim que a internet foi crescendo, pessoas falando de política com propriedades foram se destacando e aqueles que estavam na bolha da velha imprensa, onde só tinha debates entre dois esquerdistas e nenhum representava o pensamento conservador, a imprensa foi perdendo a credibilidade e isso fez que os brasileiros não se sentissem representados e a internet foi a bola da vez.

Resumindo: Um novo presidente “desconhecido” pela imprensa foi eleito.

Depois de isso ter acontecido, a imprensa começou a idolatrar os libertadores de condenados, principalmente aqueles que foram indicados por presidentes antecessores, eu estou falando dos ministro do STF.

A cada semana um ganha protagonismo na imprensa brasileira, parece até que eles combinam, o Alexandre de Morais deve falar para Gilmar Mendes, “Amiguinho de Toga, eu irei me meter num polêmica com o presidente e irei ser falado demais pela imprensa e depois vai ser você”, e então o Gilmar Mendes responde, “Sim, amiguinho, topado, não esquecerei já que depois será eu, já até sei o que irei dizer numa live sobre o genocídio que está acontecendo, sei que é mentira, mas eu quero polemizar, ahaaa”, e assim foi nessas falas (genocídio), que ganharam destaques na imprensa.

Um ministros da Suprema Corte do país querer fazer comentário político, alguém já viu isso em outro país do mundo?

Enfim, o outro ministro entrou sem querer na brincadeira dos ministros, a sorte que a imprensa não quis dá bola.

Sim, na última sexta-feira (10), uma notícia foi passada “despercebida” pela grande imprensa, que de grande não tem mais nada.

Saiu em diversas fontes, confiáveis por sinal, que o atual presidente do STF, ex-advogado do PT, foi citado pelo empreiteiro Marcelo Odebrecht, ele afirmou à Procuradoria-Geral da República que seu grupo empresarial mantinha um acerto ilícito com o então advogado-Geral da União, Dias Toffoli, e que fazia pagamentos a ele no decorrer do segundo mandato de Lula, entre 2007 e 2009. As afirmações foram feitas nos dias seis e sete de maio, em depoimento autorizado pelo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, nos autos da PET 8319, que corre em sigilo. Esses autos contêm o HD de um computador de Marcelo Odebrecht apreendido pela Polícia Federal em 2015.

Por qual motivo será que a imprensa “grande” se calou com uma afirmação tão forte e que já colocou muitos na cadeia?

Vale lembrar que o tal ministro, presidente do STF, Dias Toffoli, já censurou uma revista.

Para quem quiser ler essa notícia sobre um dos santos ministros do STF, atual presidente a corte, acesse esse link: AQUI e AQUI.

Até a próxima, bye bye!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Paulo Gustavo Corrêa

Paulo Gustavo

Estudante de jornalismo. E Focado nos assuntos curiosos em debates na sociedade. Reflexões são para serem reflexivas e com ar de seriedade. Atualmente estou com 24 anos e solitário, que passa maior parte do tempo lendo coisas do meu interesse e essas coisas significa livros de história, ficção e sites. Sou viciado no YouTube. Para ser mais intenso, sou portador de uma condição de nome Van der Woude, mais popularmente conhecida como Lábio Leporino. Já fiz mais de 11 cirurgias e todas até agora foi na parte da face. Provavelmente farei mais. Quero fazer da minha vida uma experiência inesquecível. Ainda não desistir de fato, não gosto de perder, essa a razão de ainda está aqui. É preciso um dia perder para ter sede de ganhar. Bom, bem vindo (a)!

Mostre o que achou sobre esse post publicando seu comentário

%d blogueiros gostam disto: